“Rótulo de Produto Circular” para o setor agroalimentar

  • 30 novembro 2017, quinta-feira
  • mercados

A ADENE – Agência para a Energia, em parceria com o ISA – Instituto Superior de Agronomia e com o apoio do Fundo Ambiental, encontra-se a desenvolver o projeto CERTAGRI que visa a implementação do «Rótulo de Produto Circular» no setor agroalimentar.

agroalimentar

O CERTAGRI procura definir os requisitos necessários para a conceção de um sistema integrado de Rotulagem da Eficiência Hídrica e Energética dos Setores Produtivos Nacionais, dirigido à transição para uma economia circular, procurando aumentar a eficiência energética, hídrica e de circularidade em toda a cadeia de valor.

Este projeto, que se pretende replicar no futuro a outros setores de atividade industrial em Portugal, pretende assegurar a circularidade e o desenvolvimento de vantagens competitivas para os diferentes agentes, nas etapas de produção, transformação, transporte, logística e retalho.

«O setor agroalimentar constitui hoje uma das fileiras estratégicas para a dinamização da economia nacional, com uma crescente preocupação sobre qualidade da matéria-prima e a diferenciação do produto. Para além da sua importância económica e social, o incremento deste setor constitui também uma oportunidade para o progresso de zonas rurais e da agricultura e uma área chave de atuação para um consumo mais sustentável e para uma gestão mais eficiente de recursos», refere a ADENE, em comunicado.

“Plano de Ação para a Economia Circular em Portugal 2017-2020”

No “Plano de Ação para a Economia Circular em Portugal 2017-2020” o setor agroalimentar tem uma ação específica centrada no combate ao desperdício alimentar e ao longo da cadeia de valor do setor, cuja produtividade se pretende aumentar através deste projeto, para além do objetivo de contribuir para a educação do produtor/consumidor.

Adicionalmente, a produção agrícola, a agroindústria e a indústria transformadora, são alvo de uma ação específica neste Plano, com o objetivo principal de regenerar água e nutrientes, reforçado pelo foco do incentivo à produção, uso, e consumo consciente e circular de recursos.

«Este setor é também abordado na componente do retalho, tendo um impacto relevante junto dos consumidores, sobretudo nas embalagens e desperdício alimentar. Adicionalmente, a construção de indicadores e métricas passíveis de medir o progresso em “circularidade” responde diretamente a uma lacuna que a Comissão Europeia pretende colmatar, uma vez que se encontra a desenvolver um quadro de monitorização para a Economia Circular», esclarece a ADENE.

Pretende-se que o «Rótulo de Produto Circular» seja capaz de transmitir ao consumidor final, de forma clara e precisa, o desempenho energético, hídrico e de circularidade de recursos ao longo da cadeia de valor onde se insere o produto que adquire. Incluindo uma classificação combinada, com graduação de cores, simples e facilmente percetível para o utilizador.

Neste momento, encontra-se em curso a Fase I do projeto, com o objetivo de definir e planear as atividades necessárias à execução da sua Fase II, assim como estudar a sua viabilidade financeira. Prevê-se iniciar a Fase II nos primeiros meses de 2018, e terá como objetivo a calibração da metodologia desenvolvida, aproximando-a o mais possível à realidade do sector em causa, contando para tal com a colaboração de empresas chave do setor agroalimentar.