Produção mundial de leite continua a subir

A produção de leite das cinco principais regiões exportadoras, nomeadamente, União Europeia dos 28, Argentina, Austrália, Nova Zelândia e Estados Unidos da América, aumentou 2,1 por cento em fevereiro em relação ao mês homólogo do ano anterior.

Com uma média de entregas de 800 milhões de litros por dia, segundo a AHDB, estas cinco regiões representam mais de 65 por cento da produção mundial de leite e cerca de 80 por cento das exportações mundiais de produtos lácteos.

A meteorologia desfavorável abrandou o crescimento da produção média diária na União Europeia dos 28 (UE-28), que passou por um aumento de entre quatro e seis por cento interanual desde setembro.

A maioria das regiões produtoras chave registaram um aumento na produção, com a exceção da Nova Zelândia, que assinalou uma queda nas entregas de 2,3 por cento.

Destaque para a recuperação da produção de leite na Argentina.

Segundo uma informação do Rabobank, os preços do leite nas explorações reduziram em grande parte das regiões de exportação e desceram até 15 por cento em algumas zonas, desde o início de 2018.

O crescimento da oferta de leite supera a procura de importações e pode continuar no segundo trimestre. Como resultado, o aumento seria limitado nos preços mundiais dos produtos básicos e poderia provocar uma certa pressão para uma baixa dos preços.

Pelo lado positivo dos preços a nível mundial, os importadores podem começar a acelerar as compras para obter uma cobertura de inventário a curto prazo, com expetativas para uma mudança no equilíbrio na segunda metade de 2018.

Fonte: Agrodigital