Preços da carne de porco da UE estáveis até final do ano

Nos últimos 12 meses, os preços da carcaça e leitões passou a registar mínimos históricos durante dezembro de 2015 até voltar aos níveis da média dos últimos cinco anos em abril passado.

Esta recuperação dos preços deve-se, principalmente, à forte procura de importações da China.

Durante a primeira metade de 2016, as exportações de carne de porco da União Europeia (UE) ascenderam a 1.637 milhões de toneladas, um valor mais elevado de 585 mil toneladas que o exportado na primeira metade de 2015.

As exportações da China e Hong Kong aumentaram em 517 mil toneladas até as 823 mil.

Estes volumes revelam a dependência do setor de carne de porco da UE com o mercado chinês.

Esta situação está amplificada porque o mercado comunitário está saturado, segundo a informação avançada pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos da América (USDA).

Espera-se que a procura por parte da China de carne de porco da UE reduza, pelo que não se prevê subidas de preços, mas sim que se mantenha no nível atual até final do ano.

O USDA prevê que em consequência, os abates diminuam de forma significativa.

A boa oferta de rações promove carcaças mais pesadas, o que compensa a redução de abates. Assim, para 2015 espera-se que tanto a produção como a exportação se mantenha estável.

Fonte: Agrodigital