Nestlé Avanca é hub global de snacks bio para bebés

A nova gama da multinacional vai ser exportada, a partir da freguesia portuguesa do concelho de Estarreja, para 35 países, incluindo Estados Unidos, Israel e Austrália.

Texto: Sofia Monteiro Cardoso

Um total de 11 milhões de euros foi investido numa nova linha de produção na fábrica do distrito de Aveiro que vai exportar, até ao primeiro trimestre de 2020, a nova gama de produtos, os NutriPuffs da NaturNes Bio.

“É um grande investimento não só para Nestlé Portugal como até para a Nestlé Europa e Médio Oriente. Não se dá luz verde para investir 11 milhões de euros se este fosse apenas um investimento tático. Temos de acreditar que vai cobrir, pelo menos, os próximos 15 a 20 anos para considerarmos aplicar este volume de investimento em maquinaria, pessoas”, ambiciona Aujogue.

A nova linha tem capacidade para produzir 80 latas por minuto, 130 quilos por hora, com parte dos ingredientes a chegar de fornecedores de frutas e legumes portugueses.

«A Nestlé Portugal fez força para trazer (a produção) para o país, para Avanca que se vai transformar no hub global de snacks biológicos da companhia para o mundo», adianta Ludovic Aujogue, diretor de negócio de nutrição infantil da Nestlé Portugal, ao Dinheiro Vivo.

A candidatura beneficiou do conhecimento a nível dos cereais e do espaço disponível em fábrica para instalar uma nova linha de produção.

A fábrica foi seleccionada em novembro de 2017, tendo a Nestlé começado a instalar a nova maquinaria e iniciado a formação dos novos 14 profissionais responsáveis pela gama.

«Fazer snacks é diferente de produzir Cerelac. São técnicas diferentes também do ponto de vista do embalamento: trabalhar com uma lata é diferente de uma caixa de cartão», afirma o diretor.

Ludovic Aujogue mostra-se otimista com a aceitação da gama bio a nível mundial. Em Portugal – onde cada lata de 35 gramas vai começa a ser vendida no final de agosto, com um preço de venda ao público de 20,9 euros – o biológico tem uma quota de até 3% na comida para bebé. Dessa quota, a Nestlé controla cerca de 40%.