Empresa italiana lança chocolate com leite de burra e espécie rara de cacau

chocolateA empresa junta o cacau criollo, o mais fino do mundo, com um leite muito usado na antiguidade.

A inovação continua e a reinvenção converteu-se numa constante desde há alguns anos no panorama alimentar internacional e, nesta linha, uma marca italiana de chocolate lança agora uma combinação de leite de burra com cacau criollo, uma das variedades mais apreciadas. O objetivo desta criação em edição limitada por parte da Turín Domori, que começará a comercializar-se este outono, é juntar o sabor do cacau mais fino do mundo com as propriedades alimentares do leite de burra, reconhecidas desde a antiguidade: “A ideia de usar leite de burra nasce porque este leite é pobre em caseína e rico em lactose, o que o torna num leite muito delicado e que permite uma maior expressão do sabor do cacau, reforçando as suas propriedades no paladar”, explicou o fundador da empresa, Gianluca Franzoni.

O peso do leite na elaboração deste tipo de chocolates é de 20-25% do produto final, comparativamente aos 15% da pasta de cacau.

“Ao longo da nossa história usamos diversos tipos de leite, desde o standard até outras variedades mais especiais, para oferecer um produto mais requintado e agora optámos pelo leite de burra”, comentou Franzoni.

O empresário assegurou que as particularidades deste leite tornam possível criar um chocolate “completamente diferente do tradicional, já que deixa mais espaço para o cacau”

Relativamente ao tipo de cacau, a empresa italiana optou pelo criollo, a variedade mais escassa do mundo, mas também a mais apreciada pelos especialistas. Esta variedade de cacau representa uma quantidade insignificante no total da produção mundial, já que “de 4 milhões de toneladas recolhidas anualmente, apenas 40 são de criollo”, o que representa uma percentagem de 0,001% do total.

Esta escassez deve-se à debilidade da planta e à sua baixa resistência às pragas e às doenças, devido à pureza deste tipo de cacau.

Atualmente, o cacao mais usado no fabrico de chocolates é o forastero, que apresenta uma amargura e acidez maiores, que devem ser corrigidas com quantidades mais elevadas de açúcares e aromas.

Ler aqui.