Vinho do Porto vendeu menos 1% até junho e DOC ganhou mais 7,7%

As vendas de vinho do Porto no primeiro semestre deste ano renderam 140 milhões de euros, menos 1% do que em igual período do ano passado, e as de vinho DOC Douro chegaram aos 60 milhões, mais 7,7%.

Os dados foram fornecidos pelo Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto (IVDP), destacando-se ainda «um aumento de 3,7% no preço médio por litro de vinho do Porto (4,57 euros) e o forte crescimento do volume de negócios no mercado nacional (mais 14,9%)».

Tal crescimento, contudo, não conseguiu compensar a quebra registada nas exportações. Mercados como a França, destino número um do vinho do Porto, e o Reino Unido, o terceiro maior comprador, tiveram quebras de 6,1 e 8,8%, respetivamente.

Ao contrário, as vendas em Portugal, segundo maior mercado do vinho do Porto, com uma quota relativa de 18 pontos percentuais, subiram quase 15% nos primeiros seis meses deste ano face ao período homólogo de 2015.

O presidente do IVDP, Manuel Cabral, considera que «o turismo tem um papel muito importante» no bom desempenho que o vinho do Porto registou a nível interno.

Em sua opinião, «há sinais diversos de que há um interesse cada vez maior pelo vinho do Porto no mercado nacional, nomeadamente pelas categorias especiais», tais como os "vintage".

«O turismo explica muito, mas não explica tudo», acrescentou Manuel Cabral. O IVDP diz que «é de esperar que no final de 2016 as vendas de Porto venham a atingir um pouco mais de 366 milhões de euros, com uma ligeira quebra de 0,4 pontos percentuais (p.p.) em relação ao ano anterior».

No vinho DOC Douro, os dados do primeiro semestre indicam que o volume vendido e o valor obtido subiram, o primeiro 9.7 p.p. e o segundo 7,7 p.p., para 60 milhões de euros, «muito por influência da evolução do mercado nacional».

«É de esperar que no final de 2016 as vendas de Douro venham a bater mais uma vez um recorde atingindo cerca de 131 milhões de euros, pela primeira vez acima dos 130 milhões», calcula o IVDP.

O instituto antevê ainda «a previsível subida no “ranking” da Suíça, do 6.º para o 3.º lugar e da Alemanha, de 7.º para o 5.º e a queda de Angola, de 3.º para 7.º».

Manuel Cabral assinalou que os vinhos DOC Douro estão «a crescer desde há cinco anos».

Estes dados surgem na véspera do início de um programa de 11 dias de atividades comemorativas dos 260 anos da Região Demarcada do Douro, cujo ponto alto é o Port Wine Day, no dia 10 de setembro, na Alfândega do Porto.

Fonte: Lusa