Esteves Alves & Carvalho: «futuro da empresa vai passar pela Internacionalização»

Raúl Alves, diretor geral da Esteves Alves & Carvalho, aborda as várias áreas em que a marca de Barcelos atua. Na área alimentar a EAC «dispõe de várias soluções», desde sistemas de controlo de qualidade (contaminantes e peso), embalamento, enchimento e corte e também soluções de fim de linha com paletização e pick & place», entre outras.

Entrevista: Ana Clara

Fotos: EAC

raul alves

TecnoAlimentar - A Esteves Alves & Carvalho (EAC) nasceu em 2000 em Barcelos. Fale-me um pouco do historial e evolução da empresa até hoje, em que áreas atuam e quais os vossos principais serviços?

Raúl Alves - A EAC começou por ser uma empresa apenas dedicada ao comércio de equipamentos e acessórios para a indústria têxtil. O concelho de Barcelos é fortemente marcado por esta indústria e, como eu tinha experiência com equipamentos e máquinas desde os 14 anos, decidi juntamente com mais dois sócios fundar a EAC. O crescimento da empresa foi muito rápido, tínhamos bons equipamentos, os melhores fornecedores internacionais e boa assistência e, no fundo, foi isso que ditou, desde o princípio, o sucesso desta empresa. Os nossos clientes contavam connosco para lhes apresentar soluções e os ajudar no que a máquinas dizia respeito. Foram anos muitos bons e de muito sucesso, mas infelizmente, em 2006, o concelho sofreu muito com a retirada de produção das grandes marcas de moda para o mercado asiático e isso trouxe consequências muito graves para o setor no concelho e, consequentemente, para a EAC. Foi nesta altura que tivemos de procurar outros mercados e outras áreas de atuação, como a Indústria alimentar e farmacêutica e basicamente foi aplicar a mesma metodologia – boas máquinas, bom serviço – agora tínhamos Portugal inteiro como potencial mercado e isso ditou o maior crescimento e desenvolvimento da EAC desde a sua criação. Assim, hoje em dia continuamos a vender máquinas de costura ou salas de corte automático para a indústria têxtil ao mesmo tempo que vendemos linhas de embalamento ou controlo de peso e de metais na indústria alimentar e farmacêutica. Percebemos de máquinas, temos uma equipa técnica muito polivalente e muitos contactos com fornecedores internacionais, o que quer que os nossos clientes necessitem a EAC está cá para lhes fornecer.

TA - Sei que têm novas instalações, a que se deveu esta nova “casa” e quais as mais-valias que isso traz?

RA - Sim, as instalações originais da EAC já não se demonstravam práticas e tínhamos uma limitação de espaço cada vez maior pela constante contratação de novos colaboradores. Isto originou a necessidade de construção das novas instalações. Agora temos uma oficina muito mais modernizada para os departamentos técnico e de engenharia, o departamento comercial e de marketing também está mais apoiado com novos gabinetes e maiores salas de trabalho e o departamento financeiro e administrativo tem melhores condições para desenvolver as suas tarefas. Além disso a loja de venda ao público e armazém de peças e acessórios têm agora outra dimensão e outra organização mais eficiente e a loja está mais atrativa aos clientes que nos visitam com o showroom permanente de equipamentos. Projetamos as novas instalações para serem práticas e eficientes, dispomos de espaços comuns e de convívio que até agora não existiam e que têm como objetivo o conforto e bem estar dos colaboradores.

TA - Falando da área alimentar em que atuam: comercializam produtos na área do embalamento, controladores de peso, sistemas de deteção de metais. Fale-me um pouco das várias soluções que disponibilizam ao mercado.

RA - Para a área alimentar a EAC dispõe de várias soluções, começamos por implementar sistemas de controlo de qualidade (contaminantes e peso) e evoluímos depois para outras áreas nomeadamente para o embalamento, enchimento e corte e também soluções de fim de linha com paletização e pick & place. No último ano temos vindo a desenvolver e a implementar soluções de lavagem e higienização de utensílios de produção com recurso a equipamentos de lavagem especialmente desenvolvidos para a indústria alimentar. Atualmente dispomos de um leque de soluções vasto e temos já muitas referências na indústria alimentar portuguesa. Tentamos sempre propor novas soluções, algo que os clientes não encontram noutros fornecedores e que os ajuda a ser mais produtivos.

industria

Contaminantes

TA - Na área do controlo de contaminantes – uma área importantíssima nas empresas da indústria alimentar – quais são as vossas soluções?

RA - Na EAC temos a plena noção da importância que o controlo de contaminantes constitui para os produtores e levamos esse trabalho com muita seriedade. Orgulhamo-nos de ser uma referência nesta área em Portugal. Detemos a representação exclusiva da marca de detetores de metais CEIA, maior referência mundial em deteção de metais, representação exclusiva do mais antigo fabricante de equipamentos de Raio – X a Sapphire, e temos também equipamentos de visão artificial. A isto complementamos com uma equipa comercial e técnica com formação específica nesta área, com capacidade de fazer uma avaliação in loco da melhor solução para a realidade do produto. Assim qualquer que seja o contaminante - metal, pedra, plástico, madeira ou até osso, a EAC detém todos os meios para os encontrar e expulsar das linhas de produção de forma a evitar que um produto contaminado chegue às mãos do consumidor.

TA - Também estão na Robótica na área alimentar. Fale-me um pouco das vossas soluções nesta matéria.

RA - A robótica pode desempenhar várias tarefas e funções e é um recurso com grande polivalência e em crescimento. Qualquer área pode beneficiar com a aplicação destes sistemas e na área alimentar não podia deixar de ser diferente. A EAC tem em desenvolvimento vários projetos na indústria alimentar com recurso a robots e manipuladores robotizados quer em soluções de paletização quer em sistemas de pick & place.

Temos o departamento de engenharia a trabalhar ativamente no desenvolvimento de processos robotizados e, brevemente, iremos proceder a uma instalação de uma solução inovadora em manipulação de queijo com recurso a robots. Trabalhamos com várias marcas de Robots como a KUKA, ABB, STAUBLI o que nos torna bastante flexíveis neste trabalho.

(continua)

Nota: Artigo publicado na edição impressa da TecnoAlimentar 14.

Para aceder à versão integral, solicite a nossa edição impressa.

Contacte-nos através dos seguintes endereços:

Telefone 225899620

E-mail: marketing@agropress.pt