BitCliq em missão empresarial à Islândia

Startup nacional integra comitiva portuguesa numa deslocação a Reiquejavique que visa estreitar as relações bilaterais com aquele país.

pescado

A convite da Direção-Geral de Política do Mar, a BitCliq partiu esta terça-feira, 10 de outubro, na comitiva portuguesa que realiza, até à próxima sexta-feira, uma missão empresarial a Reiquejavique, Islândia.

A iniciativa visa estreitar as relações bilaterais com este país do norte da Europa, incluindo para tal reuniões com parceiros islandeses do setor público e privado, bem como visitas a unidades de processamento de pescado e de biotecnologia.

A startup sediada nas Caldas da Rainha destaca-se por ter sido uma das primeiras empresas a entrar no negócio da rastreabilidade digital no setor alimentar.

Durante a visita ao norte da Europa, a BitCliq terá a oportunidade de apresentar o seu mais recente projeto.

Trata-se da "Big Eye Smart Fishing", plataforma digital de gestão de frotas de pesca em tempo real que representa a introdução das novas tecnologias na indústria marítima tradicional e se assume como revolucionária, na medida em que acrescenta transparência na cadeia de valor (blockchain).

O software fornece uma visão 360º das operações realizadas no mar e em terra, permitindo assim a rastreabilidade digital do produto desde o mar até ao prato.

Açores

A BitCliq estará também, nos dias 16 e 17 de outubro, na ilha do Faial nos Açores, para participar na Conferência Internacional de Pescarias de Atum com Salto-e-vara.

O desenvolvimento da tecnologia "Big Eye Smart Fishing" tão útil para o setor despertou o interesse da International Pole & Line Foundation (IPNLF) – entidade organizadora do evento – que acabou por convidar a BitCliq a participar na iniciativa.

O certame reunirá os líderes mundiais da área da pesca de atum com salto-e-vara e linha de mão para partilhar as melhores práticas e discutir soluções. Este será o primeiro encontro mundial entre todos os intervenientes deste setor de atividade, nomeadamente pescadores, comerciantes, governantes, investigadores e ONGs.