Vendas de comércio a retalho em Portugal acima da média europeia

retalho

As vendas do comércio a retalho em Portugal cresceram, em janeiro de 2019, 5,6%, em comparação com o período homólogo de 2018, segundo dados revelados pelo Eurostat.

O crescimento em Portugal ultrapassou as médias europeia e dos países da zona euro, que registaram 2,5% e 2,2%, respetivamente.

Em comparação com dezembro de 2018, as vendas em Portugal registaram um crescimento de 1,5%. Na zona euro, o crescimento foi, em média, de 1,3%, enquanto nos 28 países da União Europeia registou-se uma subida das vendas de 1,1%.

Nos estados-membros da União Europeia, os países que apresentaram os maiores níveis de crescimento, em termos anuais, foram a Eslovénia (11%), Irlanda (8,1%) e a Roménia (6,7%). As descidas registaram-se na Finlândia (-1,3%) e na Dinamarca (-0,3%).

Em comparação com dezembro de 2018, as maiores subidas foram observadas na Alemanha e Malta (os dois com 3,3%), na Estónia e Roménia (os dois com 1,9%). As descidas ocorreram na Finlândia (-2,1%), Eslovénia (-1,5%) na Dinamarca e na Áustria (ambas com -0,7%). As vendas do comércio a retalho em Portugal cresceram, em janeiro de 2019, 5,6%, em comparação com o período homólogo de 2018, segundo dados revelados pelo Eurostat.

O crescimento em Portugal ultrapassou as médias europeia e dos países da zona euro, que registaram 2,5% e 2,2%, respetivamente.

Em comparação com dezembro de 2018, as vendas em Portugal registaram um crescimento de 1,5%. Na zona euro, o crescimento foi, em média, de 1,3%, enquanto nos 28 países da União Europeia registou-se uma subida das vendas de 1,1%.

Nos estados-membros da União Europeia, os países que apresentaram os maiores níveis de crescimento, em termos anuais, foram a Eslovénia (11%), Irlanda (8,1%) e a Roménia (6,7%). As descidas registaram-se na Finlândia (-1,3%) e na Dinamarca (-0,3%).

Em comparação com dezembro de 2018, as maiores subidas foram observadas na Alemanha e Malta (os dois com 3,3%), na Estónia e Roménia (os dois com 1,9%). As descidas ocorreram na Finlândia (-2,1%), Eslovénia (-1,5%) na Dinamarca e na Áustria (ambas com -0,7%).