Supermercado pode desaparecer em 2040, diz especialista

O supermercado, como é conhecido hoje, pode desaparecer no ano 2040, no entender de Jaime Castelló, professor de Marketing da Esade.

«Basta pensar em duas grandes causas da mudança do setor de retalho, a conveniência (onde é mais fácil, mais barato, próxima e confortável) e a experiência de compra (quem agrega mais valor), para prever que em 2040 podem desaparecer os supermercados como os conhecemos hoje», disse o professor no debate sobre o supermercado do futuro, realizado em colaboração com a Accenture Digital.

Nisto coincidiu Tony Stockil, CEO do Grupo Javelin, que disse que em 20 anos, a paisagem da indústria será irreconhecível com a digitalização a transformar o mercado. «Globalmente, o e-commerce amadureceu e está a crescer rapidamente nas grandes cidades».

Tony Stockil observa que, à medida que a digitalização avança no setor do retalho, «muitas empresas são obrigadas a incorporar vendas online para sobreviver». Isso acontece também no retalho alimentar, onde ainda não se alcançaram margens de lucro.

Além disso, «a digitalização aumentou a diversidade de canais e criou uma maior transparência de preços» num mercado onde «é particularmente difícil de lidar com concorrentes como a Amazon, que já vende diretamente produtos alimentares online», reconhece o CEO do Grupo Javelin.

Portanto, o negócio do retalho tradicional deve incorporar «uma gama de novas competências e habilidades» e «inovar os seus modelos de negócios».

Fonte: Grande Consumo