Greve pode prejudicar indústria do tomate em €4milhões por dia

O presidente da Associação dos Industriais de Tomate, Martin Stilwell, estima em quatro milhões de euros os prejuízos diários que podem ser provocados pela aguardada greve dos motoristas.

Texto: Ana Catarina Monteiro

A greve dos motoristas está agendada para o próximo dia 12 de agosto, com duração indefinida, em plena apanha do tomate.   

Entre agosto e setembro, durante a colheita, são apanhados «cerca de 25 milhões de quilos por dia» que depois são transformados, poucas horas após a apanha, disse Martin Stilwell, em declarações à agência Lusa.

O presidente prevê também que quatro mil postos de trabalho sejam postos em causa, «de cerca de oito fábricas, essencialmente, na região do Ribatejo».

Para o responsável, a greve dos motoristas «põe em risco o futuro da atividade em Portugal. Estamos em contacto muito próximo com os nossos agricultores que estão, igualmente, alarmados com a situação. Pode, com alguma facilidade, pôr em causa a subsistência desta atividade no país», defendeu Martin Stilwell.

O setor do tomate tem um fatura 250 milhões de euros, anualmente. 97% deste destina-se à exportação.