Centro de incubação tecnológica do Minho capta investimento de €3milhões

O futuro Centro de Incubação de Base Tecnológica do Minho (CATIAM) vai receber um investimento de três milhões de euros.

protocolo centro minho

Texto: Ana Catarina Monteiro

Foi hoje assinado, em Arcos de Valdevez, o protocolo para a criação do centro que pretende “(re)industrializar” a região do Alto Minho, submetido à Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, ao Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) e à Associação para o Centro de Incubação de Base Tecnológica do Minho (ACIBTM).  As três entidades juntam-se para levar adiante o projeto que representa um investimento de três milhões de euros, comparticipados por fundos comunitários.

O CATIAM será instalado na In.Cubo (Incubadora de Iniciativas Empresariais Inovadoras), em Arcos de Valdevez, e será dotado de um laboratório de novas tecnologias, no âmbito da alta maquinação, da impressão 3D e da robótica, disse à agência Lusa, o presidente do IPVC, Rui Teixeira.

O empreendimento “deverá entrar em funcionamento no início de 2020”, tendo como objetivos “ajudar na formação e na profissionalização dos recursos humanos, na Inovação, Desenvolvimento e Investigação (ID&I), e na prestação de serviços altamente especializados”.

O IPVC, em parceria com a Câmara Municipal de Arcos de Valdevez e a ACIBTM, promoverá no CATIAM "todo o tipo de atividades de educação e trabalho científico, de investigação, desenvolvimento e inovação e irá promover todo o tipo de formação, nomeadamente Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTESP), Licenciaturas, Formação Avançada ou Pós-Graduações", explica o município num comunicado enviado após a assinatura do protocolo.

O IPVC disponibilizará ao CATIAM competências humanas e tecnológicas avançadas (trabalho docente, científico e laboratórios) e irá conceber, organizar, promover, coordenar e avaliar toda a atividade do CATIAM nas áreas de formação, científica e pedagógica.

João Manuel Esteves, presidente da Câmara Municipal, considera que “este centro representa a aproximação do mundo científico ao mundo empresarial” e que “este é um passo muito importante para o concelho e para a região pois estão criadas as condições para fornecer serviços de valor acrescentado às empresas instaladas, ou a atrair para a região.

O autarca indica, em comunicado, que “o CATIAM, através do IPVC, vai prestar apoio ao acolhimento das empresas, à investigação e inovação empresarial e disponibilizar formação superior e avançada".

Notícia atualizada com mais informação.