Greve nos transportes: ANIL alerta para desperdício de "milhões de litros de leite"

Setor nacional de laticínios mobiliza cerca de cinco milhões de litros de leite por dia.

Texto: Ana Catarina Monteiro

A Associação Nacional dos Industriais de Lacticínios (ANIL) juntou-se às associações ligadas á indústria que já manifestaram a sua preocupação com o impacto e as consequências da greve anunciada pelo Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) e pelo Sindicato Independente de Motoristas Mercadorias (SIMM), prevista iniciar a 12 de agosto e prolongar-se por tempo indeterminado.

Em comunicado, a associação para o setor dos laticínios alerta para o risco de terem que se “destruir milhões de litros de leito no campo”, caso não sejam tomadas as devidas medidas. O que pode ser “desastroso a nível ambiental”.

“É enorme o impacto económico, ambiental e social que a greve anunciada pode vir a gerar, pelo que a ANIL tudo tem feito no sentido de incluir o sector dos lacticínios nas medidas a adoptar pelo Governo, fixando os serviços mínimos e a requisição civil de motoristas. É premente que sejam tomadas medidas que garantam a continuação da laboração das unidades industriais e das operações necessárias à transformação e colocação de leite e dos produtos lácteos no mercado, bens rapidamente perecíveis e bens essenciais na alimentação de todos os grupos etários e grupos sociais do nosso país”, diz a associação.

“A greve anunciada poderá gerar elevados problemas ao sector, seja pelas dificuldades do levantamento de leite das explorações e do seu encaminhamento às unidades industriais, seja pela dificuldade realizar as diferentes operações de transformação, como a de fazer sair os produtos lácteos das fábricas e de os encaminhar para os circuitos comerciais”.

Segundo a ANIL, a indústria movimenta, todos os dias, cerca de cinco milhões de litros de leite, das explorações leiteiras para as unidades industriais, para serem convertidos nos mais diversos produtos lácteos (leite embalado, iogurtes, queijos, manteiga, nata, bebidas lácteas, entre outros).

“Por seu turno, o abastecimento de leite e a capacidade de armazenamento das unidades industriais depende largamente do escoamento diário de produtos lácteos transformados distribuídos ao mercado”, sublinha a associação receando prejuízos, a a indústria, com desperdícios de avultadas quantidades de leite e outros produtos, caso os sistemas logístico sejam totalmente bloqueados pela greve.