Agroalimentar representa 8,2% da produção total madeirense

A Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM) apresentou esta semana, pela primeira vez, os números do setor agroalimentar da Região Autónoma da Madeira.

Texto: Ana Catarina Monteiro

Estima-se que o setor agroalimentar madeirense represente 514,6 milhões de euros, o que traduz um peso de 8,2% na produção total da economia da região. O consumo intermédio foi avaliado em 251 milhões de euros, 10,3% do consumo intermédio total da Madeira.

As estimativas da DREM, com base em dados de 2016, mostram ainda que o setor agroalimentar gerou 263,6 milhões de euros em VAB (Valor Acrescentado Bruto), o que representa uma fatia de 6,8% do VAB total da região.

Apenas a área do “Comércio e das atividades de embalagem” concentra metade do VAB do setor agroalimentar, gerando 131,3 milhões de euros (3,4% do VAB total).

A segunda área agroalimentar com maior peso na economia madeirense é “Agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca”, com um VAB gerado de 80,8 milhões de euros (2,1% do total).

As “Indústrias alimentares” são responsáveis por 0,9% do VAB total da região autónoma (33,2 milhões de euros) e, por fim, o agregado da “Indústria das bebidas e da captação, tratamento e distribuição de água” concentra 0,5% do VAB total (18,3 milhões de euros).

A produção agroalimentar e o consumo intermédio representam 8,2% e 10,3%, respectivamente, do VAB total da Madeira.

No que respeita ao emprego, o número de postos de trabalho afetos ao setor agroalimentar em 2016 ascendia aos 22 340, representando cerca de 18,3% do total. Isto deve-se “ao  uso intensivo do fator trabalho nestas atividades, particularmente na agricultura, cuja pequena dimensão das explorações e a orografia dificultam a mecanização”, lê-se no estudo.

55,8% dos postos de trabalho do setor agroalimentar madeirense pertencem à secção “Agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca” (12 462 postos).

O documento aponta ainda para 11 199 postos de trabalho remunerados no setor agroalimentar da região e um valor de remunerações de 114,4 milhões de euros.