Castelo Branco: CATAA faz análises ao mosto e ao vinho

Se já fez a vindima ou se está a pensar fazê-la, Castelo Branco disponibiliza-lhe um conjunto de análises para melhorar o produto final.

No entender dos seus responsáveis, este serviço resulta das «exigências de qualidade na produção de vinhos, as quais obrigam os produtores e distribuidores a comprovar a qualidade dos seus produtos».

Nesse sentido e para dar respostas a esses desafios, o CATAA realiza diferentes tipos de análises para apoio à produção e caracterização de uvas para vinificação, mosto e vinhos. Este serviço é disponibilizado a todos os interessados.

Para controlo de maturação das uvas/mosto, são realizadas as seguintes análises: Determinação do peso por bago (média de 200 bagos recolhidos); Determinação dos sólidos solúveis totais (Brix) e Grau provável; Determinação do pH e determinação da acidez total.

Para realização das análises em mosto são necessários no mínimo 50 cl de amostra, e deve ser representativa do produto.

Já no que respeita à avaliação do vinho no final da fermentação, pode ser efetuada a determinação de pH, da acidez total, da densidade, do título alcoométrico volúmico adquirido, do ácido L-málico, ácido L-láctico e da frutose, da glucose, e do dióxido de enxofre livre e total.

Há ainda um conjunto de análises que permitem avaliar o vinho para engarrafar e que determinam o pH, a densidade, a acidez total, a acidez volátil, o título alcoométrico volúmico adquirido, dióxido de enxofre livre, e dióxido de enxofre total.

Para realização das análises em vinho são necessários no mínimo 1 L de amostra, e deve ser representativa do produto.

Fonte: Reconquista