Alertas no setor da carne europeu

A Crédito y Caución adverte para a deterioração do risco de crédito das empresas de produção e transformação de carne em mercados importantes, como França, Alemanha ou Reino Unido.

carne

O setor agroalimentar mantém, em todo o mundo, um bom comportamento em termos de pagamentos e um risco de crédito estável, de acordo com o mais recente Market Monitor divulgado pela Crédito y Caución.

No entanto, o relatório alerta para a deterioração em alguns dos principais mercados europeus, como França, Alemanha ou Reino Unido, onde a pressão sobre as margens aumentou principalmente no subsetor da carne, já que os preços de aprovisionamento subiram.

«Muitas empresas de produção e transformação de alimentos continuam sob pressão em 2017, com as margens afetadas por um ambiente competitivo feroz em que o poder de negociação dos principais retalhistas e lojas discount é muito forte», refere o relatório que inclui informações detalhadas sobre previsões setoriais para a Alemanha, Brasil, Espanha, França, Hungria, Irlanda, Itália, Países Baixos, Reino Unido e Portugal.

Nesse sentido, a seguradora de crédito prevê um possível aumento de incumprimentos e insolvências em França e na Alemanha.

«A maioria das empresas em risco são empresas de menor dimensão, sem oportunidades de exportação ou que não oferecem produtos especializados, e aquelas que têm pouca solidez financeira».

No caso do Reino Unido, a desvalorização da libra esterlina após a ativação do Brexit, num país que importa 48% dos alimentos que consome, teve um impacto significativo nos custos dos produtores e transformadores britânicos, afetando negativamente as margens.

Em Portugal e Espanha, a seguradora não prevê um agravamento do risco, em consonância com a recuperação das economias domésticas e o melhor acesso ao crédito financeiro.

A cautela da seguradora em ambos os mercados está concentrada no segmento de produtos lácteos, onde as empresas enfrentam dificuldades decorrentes do fim da quota leiteira da UE.

Em termos globais, a indústria agroalimentar continua suscetível a riscos súbitos, como a volatilidade dos preços das commodities ou problemas de saúde pública.

O aumento das barreiras comerciais também poderia converter-se num problema em muitos mercados onde as exportações desempenham um papel essencial na rentabilidade do setor, compensando, por vezes, os resultados menos positivos no mercado interno.