Vinho licoroso ganha medalha de ouro no concurso Mundus Vini

A Ervideira, produtora vitivinícola do Alentejo, acaba de ver premiado o seu único vinho fortificado no “Mundus Vini, Great International Wine Award 2019”, um dos mais prestigiados concursos Internacionais de vinho que se realizou no passado mês de fevereiro, na Alemanha.

vinho

Na categoria de vinhos fortificados o Vinha D'Ervideira Licoroso arrecadou 91 pontos, bem como a pontuação máxima no que diz respeito ao seu aspeto visual, mostrando que também no Alentejo se fazem excelentes vinhos licorosos.

«Com o propósito de produzir um vinho de categoria “Vintage” escolhemos a casta Tinta Caiada. É uma casta pouco apelativa para a maioria dos viticultores pelos problemas de desenvolvimento, sanitários e de muito baixa produção que apresenta. A verdade é que para nós esta casta é sempre uma oportunidade e posso afirmar que é um vinho verdadeiramente raro, pois não conheço nenhum vinho licoroso tão próximo da excelência de um grande Vinho do Porto?, afirma Duarte Leal da Costa, Diretor Executivo da Ervideira.

As uvas são escolhidas pela sua potência aromática e capacidade de extração de cor.

São uvas com um ciclo tardio - sendo sempre das últimas a vindimar -, de bago pequeno e com um sabor intenso, apresentando notas de amora e cassis.

São colhidas durante a noite, quando a temperatura é mais baixa e transportadas num camião frigorífico, de forma a evitar a fermentação e a oxidação.

Já na adega são colocadas em lagar de pisa mecânica e mantidas durante 24 horas com temperaturas de 7ºC, suficiente para não fermentar e permitir maceração a frio, de onde pretendemos extrair aromas primários (aromas da própria uva). Passadas 24 horas as uvas são inoculadas com leveduras permitindo que a temperatura suba, dando início à extração.

Até aos 4ºC de álcool o vinho fermenta lentamente com insistência na extração de cor e aromas através da pisa no lagar sendo nessa altura que é adicionada aguardente vínica com 76ºC (de álcool) mas 20ºC (agora de temperatura!) negativa até perfazer os 18ºC de álcool final.

«No fundo tratam-se aqui de dois choques em simultâneo: por um lado, a passagem muito rápida de º para 18º de álcool. E, por outro, o choque de temperatura pois esta aguardente vínica é adicionada a uma temperatura muito baixa. Estes dois choques provocam a morte imediata de todas as leveduras», explica Duarte.

Como resultado deste processo «temos um vinho licoroso de grande intensidade e concentração, quer de cor, quer de aromas, fino, elegante, capaz de ser guardado com a mesma qualidade, durante 20 ou 30 anos, ideal para ser apreciado com bons amigos, queijos e/ou chocolates», arremata o porta-voz.

O Vinha D’Ervideira Licoroso está disponível com um PVP entre os €19 e os €24, nas principais garrafeiras de Portugal.