Queijo Rögös túró é oficializado como especialidade alimentar tradicional da UE

O requeijão húngaro figura, desde o passado dia 1 de agosto, no registo oficial de especialidades tradicionais garantidas da União Europeia.

Texto: Sofia Monteiro Cardoso

A partir de agora, o produto apenas poderá ser comercializado se for produzido de acordo com os métodos tradicionais registados. A Comissão Europeia informa que o novo registo “ajuda a fortalecer a posição no mercado” como produto tradicional.

O produto típico da Hungria é um dos ingredientes mais utilizados na cozinha húngara, passando até pela pastelaria. Apesar de ser considerado um queijo fresco, a sua técnica de produção difere quando comparada com os seus pares.

Primeiro, a quantidade supérflua de soro de leite é retirada da coalhada obtida a partir do ingrediente básico (leite) por meio de um ácido ou de um coalho misto. Este processo é realizado suavemente, por meios gravitacionais e por decantação, isto é, por auto prensagem. Todo este processo vai garantir a preservação da textura esfarelada e grumosa, com semelhanças de imagem a uma couve-flor.

Como parte da sua política de qualidade, a União Europeia registou, até ao momento, 62 especialidades tradicionais garantidas.