Preço do polvo atingiu em 2018 o nível mais elevado das últimas duas décadas

O preço do polvo atingiu em 2018 o nível mais elevado das últimas duas décadas, sendo comercializado a um preço médio de 7,06 euros por quilograma, avança o Instituto Nacional de Estatística (INE).

O preço do polvo cresceu a um ritmo médio anual 2,4 vezes superior ao preço médio total do pescado.

O crescimento foi 4,1 vezes superior ao preço da sardinha, 13,5 vezes ao preço da cavala, 3,4 vezes ao preço do carapau, 1,8 vezes ao preço do atum e 1,7 vezes ao preço do biqueirão, avança o INE.

A frota de pesca nacional capturou, em 2018, 6,774 toneladas de polvo, o que representa 36,2% da quantidade total de moluscos capturados e 5,3% do volume total de pescado.

Quanto à receita da venda em lota, esta atingiu 48 milhões de euros, situando-se 25% acima da receita de 2017 e 28% superior à faturação média dos útimos 20 anos. Perto de um terço da receita é oriunda dos portos do Algarve.

O polvo importado atingiu, em 2018, 19,4 mil toneladas, sendo superior em três vezes à quantidade capturada. As importações valeram 172,6 milhões de euros.

«A insuficiência das capturas de polvo é estrutural, verificando-se um crescimento médio de 4,6% das quantidades importadas entre 2013 e 2018 enquanto as capturas em portos nacionais registaram uma variação média negativa de 12,1%», refere o INE.