Portugueses continuam a consumir carne e peixe

Realização de estudo de perceção dos portugueses sobre Indústria da Alimentação Animal e produtos de origem animal assinala 50 anos da IACA (Associação Portuguesa dos Industriais de Alimentos Compostos para Animais).

O estudo realizado pela GFK é apresentado esta sexta-feira, dia 25 de outubro, na conferência que assinala o aniversário da instituição, e revela que a maioria dos portugueses (99,8 %) come carne e peixe. De uma forma geral, existe falta de conhecimentos sobre o setor que fabrica a alimentação dos animais.

No que respeita às Atitudes Face ao Consumo - um dos temas analisados neste estudo, além do Relacionamento com a Alimentação Animal e do Impacto da Alimentação Animal no Ambiente - os dados revelam que a quase totalidade dos portugueses come carne e peixe, cerca de 99,8%, e que 92% consome carne várias vezes por semana. 25% dos portugueses come carne todos os dias.

O peixe é consumido com menor frequência, embora estejam também em maioria aqueles que o consomem mais do que uma vez por semana, cerca de 72%.

O leite tem o consumo mais polarizado. Este tende a ser consumido todos os dias, ou não consumido de todo. Os ovos são tendencialmente consumidos entre 1 a 4 vezes por semana.

De relevar ainda, nesta área, 10% dos portugueses afirmarem que já ponderaram ter uma alimentação exclusivamente vegetariana ou vegan. Destes, 69% ponderou fazê-lo por considerar que esta pode ser uma alimentação mais saudável.

Cerca de 85% da população portuguesa afirma que gostaria de ter mais informação sobre a alimentação dos animais que dão origem a géneros alimentícios para consumo humano e 7 em cada 10 portugueses consideram que a alimentação animal tem um impacto elevado ou extremamente elevado na alimentação humana. Quanto à segurança alimentar, apesar de se notar uma maior reserva, 43% considera que a sua saúde está salvaguardada.

Quando questionados acerca do Impacto da Alimentação Animal no Ambiente, 76% das pessoas não sabe que este setor recicla uma percentagem relevante de coprodutos derivados da alimentação humana, mas considera que é importante reduzir a pegada ambiental do mesmo. O estudo revela ainda que 77% dos portugueses considera que a produção de alimentos para animais é uma atividade relevante em termos socioeconómicos para o país.