Portos portugueses estão a movimentar menos carga em 2019

A carga movimentada nos portos entre janeiro e abril desceu 0,1% para 29,8 milhões de toneladas, impactada pelo volume de importações de petróleo bruto, indicou a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT).

«A carga movimentada no período de janeiro a abril de 2019 revela um comportamento positivo para os portos de Leixões, Aveiro e Setúbal, que não conseguiram, no entanto, anular o desempenho negativo dos restantes, tendo, assim, este período fechado com um volume global de 29,8 milhões de toneladas, inferior em -32,8 mil toneladas (mt) ao seu homólogo de 2018, isto é, traduzindo um recuo ligeiro de -0,1%», lê-se no relatório de acompanhamento do mercado portuário, referente a abril deste ano.

De acordo com a AMT, esta evolução deveu-se, maioritariamente, ao facto de o «volume de importações de petróleo bruto ter diminuído - 914,9 mil toneladas».

No período em causa, «Leixões e Aveiro atingiram as melhores marcas de sempre, após crescimento de 4,7% (+294 mt) e 1,7% (+30,3 mt)», enquanto Setúbal registou um acréscimo homólogo de 8,4% (+182,5 mt).

Os restantes portos registaram comportamentos negativos, destacando-se Lisboa, Sines e Figueira da Foz, que cederam, respetivamente, 7,1%, 1% e 14,7%.

Registaram-se igualmente quebras em Viana do Castelo (-0,4%) e em Faro (-27%).

«O comportamento dos portos de Sines e de Leixões foi significativamente influenciado no sentido negativo pela diminuição das importações de Petróleo Bruto num total respetivo de -717,9 mt (-24,1%) e de -197 mt (-13,1%) e no sentido positivo pelo aumento da movimentação de Produtos Petrolíferos (que em termos globais ultrapassou 6 milhões de toneladas, o maior valor de sempre) em +439,4 mt (+11,9%) e +88,8 mt (+8,1%)», explicou a AMT.