Economia portuguesa cresce 1,8% no segundo trimestre

O PIB (Produto Interno Bruto) português registou um crescimento mais rápido que o da União Europeia, sendo Portugal uma das cinco economias do euro que não travaram.

Texto: Sofia Monteiro Cardoso

Segundo indica a estimativa rápida do INE (Instituto Nacional de Estatística), Portugal manteve o mesmo ritmo de crescimento registado nos primeiros três meses do ano.

A economia portuguesa subiu acima da média europeia no segundo trimestre, sendo o crescimento de 1,8% na comparação homóloga e 0,5% face ao trimestre anterior.

Para justificar o avanço português, o INE afirma que ocorreu uma "maior desaceleração das importações de bens e serviços que a observada nas exportações de bens e serviços”. Do lado da procura interna, o contributo positivo para o crescimento do PIB em termos homólogos "diminuiu, refletindo a desaceleração das despesas de consumo final e, em larga medida, do Investimento".

O crescimento expectável do PIB português, para o ano de 2019, oscila entre 1,6% e 1,9%. O Conselho das Finanças Públicas espera um crescimento de 1,6%. A Comissão Europeia e o FMI (Fundo Monetário Internacional) esperam um crescimento de 1,7%, algo que também é corroborado pelo Banco de Portugal. A OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico) situa as suas expetativas nos 1,8% e o Governo português é o mais ambicioso, apontando para um crescimento de 1,9%. Os resultados dos primeiros trimestres do ano revelam-se positivos na conjetura esperada. 

A estimativa rápida do Eurostat (Gabinete de Estatísticas da União Europeia) também foi apresentada na primeira semana de agosto. Os dados apresentam uma evolução mais lenta da Europa face ao desenvolvimento recente da economia portuguesa. Em termos homólogos, na zona euro o PIB cresceu 1,1%. Na União Europeia o crescimento registado foi de 1,3%. Na variação em cadeia progrediu 0,2% em ambos os casos.

O PIB europeu manteve sensivelmente o mesmo ritmo de crescimento do trimestre anterior, tendo progredido 1,2% na zona euro e 1,6% no conjunto da União Europeia, isto quando comparado ao primeiro trimestre de 2018. Relativamente ao trimestre anterior, o último de 2018, o crescimento foi de 04,% na zona euro e 0,5% na UE.

De realçar ainda a contração registada do PIB alemão, considerada a principal economia europeia, que recuou 0,1% face ao trimestre anterior, tendo crescido 0,4% em relação ao período homólogo, menos que o registado pela UE.

O emprego manteve o mesmo ritmo de crescimento registado no primeiro trimestre de 2019, progredindo 1,1% na zona euro e 1,0% na União Europeia.