Sumo de limão concentrado

Uma Valorização do Limão de Mafra Não Normalizado

limao

Por: Maria João Trigo, Armando Ferreira, Maria Margarida Sapata, Ana Cristina Ramos, Maria Beatriz Sousa, Luís Andrada, Maria Paula Martins

Resumo

A produção nacional de limão engloba uma importante percentagem de frutos que, embora de qualidade, não se enquadram nos padrões normalizados aceites no mercado.

Numa tentativa de escoamento deste tipo de frutos, os produtores nacionais procuram, cada vez mais, alternativas para a sua transformação tendo em vista a obtenção de novos produtos de qualidade e valor acrescentado.

O sumo de limão concentrado congelado apresenta-se como uma alternativa, dado que, apos reconstituição, proporciona ao consumidor um produto similar ao fresco com garantia de segurança e, simultaneamente, com qualidade nutritiva e sensorial.

Introdução

A produção mundial de limão, em 2013, rondou 15.000.000 toneladas, sendo a Argentina o maior produtor.

Em Portugal o volume produzido, no mesmo ano, foi de aproximadamente 14.000 toneladas, tendo a cooperativa FrutOeste contribuído com 30% na produção de limão do Ribatejo e Oeste, o que corresponde a 8% da produção nacional (Relatório de Progresso LIMTEC, 2014).

Atualmente, devido aos novos hábitos alimentares e a crescente tendência para o consumo de produtos naturais, tem vindo a verificar-se um aumento da procura de sumos “in natura”, não só pelo seu elevado valor nutritivo, mas também pela forma prática de apresentação.

O limão é uma fonte natural rica em nutrientes como flavonóides, ácido cítrico, vitamina C e minerais (Benavente-Garcia et al., 1997; Vinson et al.2001).

O sumo de limão natural, definido como uma bebida não fermentada e não diluída obtida da parte edível (endocarpo) de limões maduros (Decreto-Lei n.º 145/2013), através de processamento tecnológico adequado, esta entre os sumos mais consumidos e apreciados.

O “sumo de frutos concentrado”, segundo o Decreto-Lei n.º 145/2013, e o produto obtido a partir de sumo de uma ou mais espécies de frutos por eliminação física de uma parte do teor de agua.

Caso o produto se destine a consumo direto, a água eliminada deve representar pelo menos 50% do teor total de água.

O limão (Citrus limon (L.) Burm. f.) em fresco, produzido na região de Mafra, maioritariamente das variedades Lisboa (nacional) e Eureka (Califórnia, USA), e conservado sob refrigeração até à expedição.

Devido às variedades remontantes e a forma como a produção está organizada, é possível oferecer limão do “dia” durante todo o ano,

Contudo, nos meses de outubro e novembro registam-se preços elevados, pelo que a disponibilidade, nesta época, de sumo de limão processado, torna-se bastante vantajosa para produtores e consumidores.

Assim, tem vindo a surgir novas formas de comercialização, nomeadamente sumo concentrado e congelado, produto de elevada qualidade, com características sensoriais interessantes, com tempo de vida útil alargado aliado a diminuição nos custos de embalagem e transporte.

Pretende-se com este trabalho a obtenção de sumo de limão concentrado congelado que permita, não só, acrescentar valor a frutos não normalizados, como também evitar desperdícios, minimizar perdas e facilitar ao produtor/concentrador alternativas de utilização.

(Continua)

Nota: Este artigo foi publicado na edição n.º 3 da Revista TecnoAlimentar.

Para aceder à versão integral, solicite a nossa edição impressa.

Contacte-nos através dos seguintes endereços:

Telefone 225899620

Email: marketing@agropress.pt