SIMAB aposta na consultoria especializada

  • 04 dezembro 2017, segunda-feira
  • mercados

A SIMAB - Sociedade Instaladora de Mercados Abastecedores considera que «seria um enorme desperdício» não aproveitar a experiência e consequente “know how” na gestão, conceção, modernização e revitalização de mercados abastecedores e municipais, razão porque está a potenciar a sua capacidade na área da consultoria, quer no âmbito nacional, nomeadamente nos mercados municipais, quer a nível internacional, nos mercados abastecedores.

simab

É neste contexto que a sociedade de capitais maioritariamente públicos está a trabalhar o mercado interno, numa primeira fase, o que tem passado pela apresentação dos serviços a potenciais clientes, por exemplo as autarquias, e por contactos institucionais a nível internacional.

Este posicionamento estratégico tem em conta 24 anos de intensa atividade nacional e internacional na construção e remodelação de mercados municipais e mercados abastecedores, não só em Portugal, como em Angola, Moçambique, Marrocos ou Cabo Verde, e, particularmente, a gestão da maior plataforma de logística e distribuição agroalimentar, que é o Mercado Abastecedor da Região de Lisboa, e dos seus congéneres de Braga, Évora e Faro.

«Esta experiência acumulada, concretamente na conceção e gestão de mercados abastecedores, é assumida, aliás, como prioritária pelos congéneres europeus, desde logo como caminho para a consolidação de modelos de negócio, via aumento de receitas», justifica o “CEO” Rui Paulo Figueiredo.

A apresentação dos serviços junto das câmaras municipais e das comunidades intermunicipais é precisamente uma das primeiras estratégias para divulgar as valências do Grupo, propósito que continua a ser desenvolvido no contexto nacional.

Passa igualmente, acrescenta Rui Paulo Figueiredo, por parcerias especializadas em áreas como a arquitetura, engenharia, projetos ou comunicação, bem como pela “SIMAB Academia”, o que significa a certificação da Sociedade como entidade formadora nas suas áreas de competência.

A implementação de um sistema de gestão da qualidade, quer em território nacional, quer internacional, de acordo com as regras, princípios e procedimentos para a melhoria dos circuitos de comercialização e distribuição de produtos agroalimentares, é outro patamar a que a Sociedade se propõe.

«A melhoria contínua dos processos, nos métodos de atuação e nas relações com os “stakeholders”, através da elaboração e revisão periódica dos objetivos da política de qualidade, é um desiderato que perseguiremos também neste âmbito», garante aquele responsável.