Setor alimentar: consumidores portugueses ainda não são adeptos das compras online

Apesar de se mostrarem disponíveis para a compra online de várias categorias, os consumidores portugueses revelam-se pouco adeptos deste tipo de compra no que respeita ao setor alimentar.

59% dos inquiridos preferem comprar produtos frescos e de mercearia em lojas físicas e não consideram a sua compra online. Por outro lado, 23% dos consumidores assumem que não adquirem estes produtos online mas estariam disponíveis para o fazer num futuro próximo.

Segundo o relatório internacional da Nielsen “Global Connected Commerce”, elaborado a partir de uma amostra online, os consumidores portugueses são especialmente atraídos para a compra online de viagens (57% contra 47% na média europeia), vestuário, livros/música/papelaria e bilhetes para eventos. Também os produtos tecnológicos são adquiridos online por quase metade dos consumidores portugueses.

Ainda relativamente à compra de produtos alimentares, os consumidores nacionais mostram-se disponíveis para a utilização de diferentes tipos de recursos digitais. 41% dos inquiridos admitem utilizar as caixas self-service como forma de pouparem tempo e 48% assumem poder vir a utilizar.

61% dos consumidores nacionais (contra apenas 53% na média europeia) revelam a sua confiança nas compras online, admitindo que se sentem seguros na disponibilização de informações pessoais nestas plataformas.

Fonte: Grande Consumo