Saldo comercial agroalimentar da UE

No período entre novembro de 2015 e outubro de 2016, as exportações agroalimentares da União Europeia (UE) atingiram um valor de 129.906 milhões de euros, representando um aumento de 1,9% e de 2.377 milhões em valor, em comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com o último relatório mensal do Eurostat.

Outubro manteve-se igual ao mesmo mês do ano anterior, com apenas uma subida de 0,3% e com 30 milhões de euros mais exportados.

Considerando que as importações agroalimentares procedentes de países terceiros no período analisado diminuíram ligeiramente 0,1% e em 166 milhões de euros, atingindo 111.626 milhões de euros, o saldo do comércio exterior na União Europeia subiu para 18.280 milhões de euros.

Os últimos números do comércio exterior agroalimentar, referentes a outubro de 2016, mostram que o Japão (5.630 milhões de euros, 7,7% e 401 milhões mais) também superou a Rússia, no ano passado, como o quarto maior destino de exportação para esses produtos, atrás dos Estados Unidos da América (20.453 milhões de euros, 8% e mais de 1.514 milhões no período de novembro 2015 a outubro de 2016), China (11.169 milhões de euros, 11,9% e 1.190 milhões mais) e Suíça (7.763 milhões de euros, 2,9% e mais de 220 milhões).

A Rússia desceu para o quinto lugar como destino de exportação da UE, com 5.460 milhões de euros e um decréscimo de 4,7% e de 267 milhões de euros.

O excedente líquido da UE no comércio agroalimentar com o Japão ascendeu a cerca de cinco mil milhões de euros por ano nos últimos anos. Os produtos europeus que são exportados principalmente para o Japão são carne de porco, vinho e vermute, queijo e licores, como observado no relatório da Comissão Europeia.

Em outubro passado, as exportações agroalimentares da União Europeia chegaram a 11.439 milhões de euros em valor, com um ligeiro aumento de 0,3% para 30 milhões em relação ao mesmo mês de 2015. Os maiores aumentos de vendas agroalimentares para países terceiros conseguiram-se nos mercados asiáticos: China (78 milhões de euros), Coreia do Sul (66 milhões de euros) e Vietname e Japão, ambos com 40 milhões de euros.

O valor das exportações de alimentos, no entanto, caiu em outubro passado na Arábia Saudita (menos 104 milhões de euros), Turquia ( menos 31 milhões de euros) e Nigéria.

Os maiores aumentos mensais, em comparação com o mesmo mês do ano passado, estavam em produtos infantis (mais 57 milhões), azeite (mais 49 milhões), suínos (mais 45 milhões) e animais vivos (mais 45 milhões).

Em outubro, as importações agroalimentares da União Europeia caíram 8,1% e 774 milhões de euros para um total de 8.771 milhões de euros. Os principais países dos quais se importou foram o Brasil (-12,8%), Estados Unidos da América (-13,3%), Argentina (-20,9%) e China (-6,9%).

Os países que tiveram o melhor desempenho mensal das importações nesse mês foram o Paraguai e a Costa Rica e a maior redução foi assinalada no Brasil e Argentina.

Fonte: Revista Grande Consumo