Exportações da UE representam 36 milhões postos de trabalho

  • 29 novembro 2018, quinta-feira
  • mercados

Dois novos estudos publicados pela Comissão Europeia salientam a importância crescente das exportações da União Europeia (UE) para as oportunidades de emprego dentro e fora da Europa.

exportacoes

Além disso, as exportações da UE para o resto do mundo geram 2,3 biliões de euros de valor acrescentado na UE.

As exportações da União Europeia para o resto do mundo são hoje mais significativas do que nunca, justificando 36 milhões de postos de trabalho em toda a Europa, ou seja, mais dois terços do que em 2000, dos quais, 14 milhões são ocupados por mulheres.

Desde o início da atual Comissão em 2014, o número de postos de trabalho que dependem das exportações aumentou 3,5 milhões. A remuneração destes postos de trabalho é, em média, 12 por cento superior à do resto da economia.

O relatório publicado no Dia Europeu da Política Comercial inclui fichas informativas detalhadas sobre os resultados de cada Estado-embro da UE. As exportações criam e mantêm postos de trabalho em toda a UE e os números estão a aumentar.

Os maiores aumentos registaram-se desde 2000 na Bulgária (+312 %), República Eslovaca (+213 %), Portugal (+172 %), Lituânia (+153 %), Irlanda (+147 %), Estónia (+147 %) e Letónia (+138 %).

Os números revelados realçam o importante efeito das exportações para o resto do mundo. Quando os exportadores de um Estado-membro da UE conseguem bons resultados, os trabalhadores de outros Estados-membros também retiram benefícios desses resultados.

Tal deve-se ao facto de as empresas que fornecem bens e serviços ao longo da cadeia de abastecimento também beneficiarem quando os seus consumidores finais vendem o produto final num país estrangeiro. Por exemplo, as exportações francesas para o resto do mundo justificam cerca de 627 mil postos de trabalho noutros Estados-membros.

Finalmente, as exportações da UE para o resto do mundo justificam quase 20 milhões de empregos fora da UE. Estes empregos mais do que duplicaram desde 2000. Nomeadamente, mais de 1 milhão de postos de trabalho nos Estados Unidos dependem da produção de bens e serviços norte-americanos que são incorporados nas exportações da UE através das cadeias de abastecimento mundiais.

O estudo analisa igualmente a distribuição dos postos de trabalho entre homens e mulheres, concluindo que existem na UE quase 14 milhões de mulheres em empregos que dependem do comércio.

Fonte: Comissão Europeia