Exportações agroalimentares da União Europeia atingem os 138 biliões de euros

Num relatório publicado no dia 5 de setemebro, a União Europeia confirma, por mais um ano, a sua posição como maior exportador global de produtos do setor agroalimentar.

Os produtos agrícolas representam 7% do valor total da exportação de bens da UE, ocupando o quarto lugar depois das máquinas, outros produtos manufaturados e produtos químicos.

Phil Hogan, comissário da Agricultura e Desenvolvimento Rural, que foi recentemente condecorado em Portugal, afirma que "A Política Agrícola Comum, cada vez mais orientada para o mercado, deu uma contribuição decisiva para o sucesso da UE no comércio agrícola. A reputação da UE de ter produtos seguros, produzidos de forma sustentável, nutritivos e de qualidade é uma fórmula vencedora no mercado global. A Comissão está aqui para ajudar os produtores a aproveitar ao máximo as oportunidades por todo o mundo", como é possível ler-se no comunicado emitido pela Comissão Europeia.

Os cinco principais destinos dos produtos agroalimentares da UE continuam a ser os Estados Unidos, a China, a Suíça, o Japão e a Rússia, representando 40% das exportações.

Os vinhos e o vermute continuam a dominar a cesta de produtos exportados, com bebidas espirituosas e licores em segundo lugar. Depois vem a comida infantil e várias preparações alimentares, como chocolate, massas e doces.

A agricultura, as indústrias e os serviços relacionados com a alimentação, em conjunto, criam quase 44 milhões de empregos no espaço comum. No que diz respeito às importações, a União Europeia importou 116 biliões. As importações dos EUA foram as que mais cresceram em 2018, com um aumento de 10%.