Digital potencia contratações no setor do retalho em 2019

  • 19 dezembro 2018, quarta-feira
  • mercados

A Hay revela no Guia do Mercado Laboral 2019 que o setor do retalho e grande distribuição continua muito dinâmico em termos de recrutamento, especialmente na área digital.

retalho

As marcas querem distinguir-se não só nas lojas físicas, mas querem também destacar-se nos meios digitais e no e-commerce.

Assim, a procura de profissionais qualificados nesta área tem crescido exponencialmente.

«Existe uma enorme urgência no mercado atual em contratar profissionais que saibam quais as necessidades dos consumidores, que tenham um perfil estratégico e também uma visão abrangente sobre o sector para conseguirem oferecer soluções inovadoras», afirma Filipa Silva, Senior Consultant & Team Leader da Hays Portugal.

A mudança no comportamento dos consumidores na utilização dos canais digitais tem levado a que a maior parte das empresas faça um investimento em funções de e-commerce e marketplace, impulsionando assim a transformação neste setor.

Os consumidores fazem cada vez mais compras online e, por isso ,as organizações têm-se preocupado em contratar perfis mais estratégicos. Se, por um lado, esta tendência se fez sentir na área da grande distribuição, especialmente no retalho alimentar, por outro lado, na indústria têxtil, as áreas comerciais e de desenvolvimento de negócio revelaram ser de maior necessidade este ano.

Em 2019, a área digital deverá continuar a crescer e a necessitar cada vez mais de profissionais, assim como a continuação da entrada de novas marcas, especialmente na área da grande distribuição e restauração.

Filipa Silva reforça que «as funções de digital marketing e técnicos de CRM estarão no topo das prioridades para o próximo ano, sendo que estas são as posições essenciais para a definição de estratégia e para garantir a presença das empresas no meio online».

O setor têxtil terá cada vez mais necessidade de recrutar perfis para o desenvolvimento do negócio devido à forte presença dos "players" em países como a Turquia e Marrocos.

Houve uma necessidade de investimento e retenção no recrutamento para o setor de retalho, este ano, de responsáveis de secção, chefes de sector e chefes de departamentos, por causa da entrada de novos operadores no mercado, assim como pela expansão e consolidação de outras marcas que já estavam em atividade.

O gerente de loja e o recrutamento para reestruturação e substituição de equipas são também uma das maiores apostas para o ano, por causa da importância da experiência do consumidor e do aumento do número das lojas físicas.

Os perfis mais difíceis de identificar são modelistas, marketplace specialist, chefe de secção alimentar e designer de produto.

Fonte: Grande Consumo