Consumo corrente impulsiona consumo privado em março

O indicador do consumo privado acelerou em março, depois de um abrandamento verificado em abril, adianta o Instituto Nacional de Estatística (INE).

frutas

Este aceleramento resulta do «contributo positivo mais intenso da componente de consumo corrente, tendo a componente de consumo duradouro apresentado um contributo positivo menos intenso», refere o documento do INE.

O indicador quantitativo do consumo privado cresceu, em março, 2,7%, crescimento justificado, em grande medida, pela evolução mensal do consumo corrente, que subiu de 2,5% para 2,7% entre fevereiro e março. O indicador quantitativo de bens duradouros diminuiu de um crescimento de 4,1% para 3,4%.

Quanto à Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), o indicador acelerou nos primeiros três meses do ano.

«A evolução registada em março deveu-se aos contributos positivos mais expressivos das componentes de construção e de máquinas e equipamentos. Por sua vez, a componente de material de transporte registou um contributo positivo ligeiramente menos intenso», refere o INE. Entre fevereiro e março, o indicador subiu de 6,0% para 9,9%.