Câmaras de atmosfera controlada

Por: António Santos | Engenheiro Mecânico Térmico

frio

Resumo

As câmaras frigoríficas de atmosferas controladas são semelhantes às camaras de conservação de refrigerados, com alguns cuidados construtivos com vista a manter as concentrações de gases, propicias ao aumento do período de conservação dos produtos hortícolas.

Neste trabalho está reunido um conjunto de informação sobre este tema de conservação alimentar pelo frio.

Inicia-se com as condições interiores a garantir para certos tipos de hortícolas, e segue-se com uma descrição resumida da constituição da estrutura das câmaras e dos sistemas de produção de frio que se podem implementar neste género de espaços.

Como complemento, descreve-se os principais tipos de equipamentos usados para manter as concentrações de gases e seu princípio de funcionamento. No final faz-se uma referência aos testes de estanquicidade normalmente usados nestas câmaras.

Condições Interiores

Numa atmosfera normal, o ar contém cerca de 78% de azoto, 21% de oxigénio, 0.03% de dióxido de carbono e 0.97% de outros gases. Ao colocar os produtos no interior de uma câmara hermeticamente fechada, os hortícolas como resultado do processo de respiração tendem a consumir o oxigénio do ar e libertam o dióxido de carbono e uma parcela de calor adicional.

C_6 H_12 O_6 (açucares)+6O_2→6CO_2+6H_2 O+2667 KJ

O controlo das concentrações destes constituintes atmosféricos (CO2 e O2) permite, por um lado, aumentar o período de conservação dos produtos e, por outro lado, melhorar a qualidade, devido à diminuição das perdas de peso, pelo excesso de transpiração e alterações fisiológicas.

(Continua)

Nota: Este artigo foi publicado na edição n.º 17 da Revista TecnoAlimentar.

Para aceder à versão integral, solicite a nossa edição impressa.

Contacte-nos através dos seguintes endereços:

Telefone 225899620

Email: marketing@agropress.pt