Bombas de Vácuo e Compressores DVP

Por: TM2A

bombas

A DVP, com cerca de 40 anos de atividade, é um fabricante especializado na produção de bombas de vácuo e compressores utilizados em vários setores de atividade.

O processo de fabricação é inteiramente assistido pelos sistemas operativos de última tecnologia de modo a reduzir o tempo de fabricação e utiliza um inovador software de simulação dos fluxos que garante a resolução de eventuais inconvenientes de temperatura, pressão, ruído, vibração e desgaste dos elementos.

Tecnologia a Seco

Bombas Rotativas de Palhetas

• Estas bombas de vácuo são constituídas por um corpo cilíndrico no qual gira numa posição excêntrica – um rotor com canais nos quais são inseridas as palhetas. Durante a rotação deste último são empurrados em contato com o corpo da bomba, por efeito da força centrífuga, criando um espaço fechado que aumenta progressivamente o volume retirando ar do recipiente a ser evacuado e expelindo-o da tubulação para a descarga. Se for usado como um compressor, o ar de admissão vem da descarga.

• As bombas a seco podem trabalhar em serviço contínuo, seja da pressão atmosférica, seja ao máximo vácuo. Pelo contrário não pode ser utilizado, exceto com filtros especiais, quando o ar de admissão está molhado ou contém vestígios de óleo ou outros fluídos.

• Os compressores rotativos têm a vantagem de fornecer ar a uma pressão dada, pulsação e não necessitam de um tanque de armazenamento. Na solicitação é possível dotar essas bombas de vácuo e compressores com uma carenagem acústica FBX-S.

Bombas e Compressores de Lóbulos de Garras

• As novas bombas de vácuo e compressores de garra são máquinas que, graças à rotação dos dois rotores no interior de uma câmara de forma adequada, criam volume, transferindo os volumes de ar da tubulação de admissão para o escape.

A rotação sem contato dos rotores é sincronizado por meio de engrenagens e a câmara de vácuo opera completamente seca, ou seja, livre de lubrificantes e dos resíduos gerados pelo seu arrastamento ou contato durante a rotação.

• Os dentes das engrenagens, as quais permitem a rotação sincronizada dos rotores e os rolamentos associados, são lubrificados com o óleo e são colocados num compartimento, separado da câmara de vácuo de rotação dos rotores por meios de juntas de vedação.

• As bombas e compressores de lóbulos de Garra garantem baixos custos de funcionamento, graças ao moderado consumo de energia e alta eficiência. O custo de manutenção é muito baixo em relação à longa duração, graças à ausência de atrito entre os rotores em funcionamento.

O equipamento de série das novas bombas de lóbulos de Garra inclui um silenciador, amortecedores de vibração e válvula de regulagem de vácuo.

(Continua)

Nota: Artigo publicado da edição n.º 15 da Revista TecnoAlimentar.

Para aceder à nossa edição impressa, contacte-nos através dos seguintes endereços:

Telefone 225899620

Email: marketing@agropress.pt