As nove tendências que vão marcar o Agroalimentar português em 2019

As preocupações ambientais ganham cada vez mais destaque nas estratégias das empresas portuguesas do setor agroalimentar, como é exemplo a redução do plástico nas embalagens. A Inovcluster (Associação AgroIndustrial do Centro), em parceria com a CATAA (Associação do Centro de Apoio Tecnológico e Agroalimentar de Castelo Branco), revelaram as nove principais tendências que vão marcar o setor português agroalimentar este ano e que estão ligadas ao design dos produtos e aos perfis de consumo.

agroalimentar

1. Sustentabilidade – A sustentabilidade, tanto dos produtos como das suas embalagens, deverá ser uma das principais preocupações das empresas do setor agroalimentar este ano. A divulgação de formas saudáveis e sustentáveis de produção, onde os componentes artificiais são os inimigos número um das marcas, e o desenvolvimento de produtos naturais e biológicos em resposta ao aumento da procura por parte dos consumidores são alguns exemplos.

2. Procura Mais Verde – Esta é uma tendência em crescimento. Vão surgir no mercado novas alternativas a produtos alimentares como o sal, o chocolate e até mesmo o peixe.

3. Pratos Sem Sacrifícios – As refeições que ofereçam aos consumidores uma experiência gastronómica de excelente qualidade e que, ao mesmo tempo , são saudáveis e rápidas de preparar, vão ser uma exigência dos consumidores portugueses.

4. Longevidade com Qualidade – Com o aumento da esperança média de vida, a indústria agroalimentar tem uma oportunidade para desenvolver produtos que providenciem uma vida mais longa e saudável.

5. Aventura Sensorial – Os consumidores querem produtos que misturem sabores, tenham um design apelativo e que ofereçam verdadeiras experiências gastronómicas.

6. Hora de Petiscar – Os snacks leves e nutritivos terão também elevada procura por parte dos consumidores para ingerir entre as principais refeições.

7. Pronta, mas Premium – As refeições prontas têm quer apresentar novos sabores, a frescura dos alimentos e serem saudáveis.

8. Diversidade na Distribuição – A diversidade revela-se como uma das tendências a seguir para negócios mais modernos e atuais e que vão ao encontro das necessidades do consumidor atual.

9. Mercados emergentes – As marcas devem pôr os olhos em países como a Alemanha, Dinamarca, Finlândia, Noruega e Suécia, voando depois até à Ásia, onde o Japão se revelou como um mercado com grande potencial de crescimento, especialmente após o acordo de Parceria Económica assinado entre a União Europeia e o Japão que entrou em vigor no dia 1 de fevereiro de 2019. Será uma zona de comércio livre que abrangerá 635 milhões de pessoas, permitindo que empresas, agricultores, trabalhadores e consumidores da União Europeia (UE) possam usufruir das vantagens de um comércio mais simples e mais rápido entre a UE e o Japão. 

Fonte: Hipersuper