A importância da certificação dos Sistemas de Gestão de qualidade alimentar

Por: Eunice Santos | És Segurança

alimentos

A indústria de alimentos e bebidas é sujeita a um grande número de padrões e regulamentações rigorosas, criadas para assegurar a qualidade e a segurança, minimizar os riscos ao consumidor e melhorar a eficiência dos processos.

Todos os intervenientes numa cadeia alimentar têm a responsabilidade de assegurar a segurança dos produtos alimentares nas fases em que intervêm, independentemente da natureza das atividades que desenvolvem.

Nos dias que correm, a segurança alimentar dos produtos apresenta uma relevância significativa para os consumidores, as entidades regulamentares e de uma forma geral para todos os elos da cadeia alimentar.

O facto de terem sido desenvolvidas novas técnicas de produção, preparação, distribuição e fornecimento de alimentos, associados a novas formas de estar, a novos hábitos de consumo, onde tudo é global, levou ao aparecimento de novos perigos, e os já existentes tornaram-se mais resistentes.

O controlo eficaz da higiene e da segurança dos alimentos torna-se, assim, imprescindível, de forma a evitar doenças e danos provocados pela deterioração dos alimentos.

Estas poderão ser, na melhor das hipóteses, desagradáveis, e na pior podem mesmo ser fatais. Além disto, provocam perdas e custos e influenciam negativamente o comércio e a confiança dos consumidores.

Contudo, obrigou a novos desafios no sentido de determinar uma análise de risco e de definir medidas de controlo específicas promovendo a obtenção de produtos com um determinado nível de confiança, do ponto de vista da segurança alimentar.

A certificação da segurança alimentar pode desempenhar, aqui, um papel importante, oferecendo o reconhecimento a todas as organizações cujos sistemas de segurança alimentar estejam certificados, e garantido assim, de forma independente e imparcial, que os seus produtos foram produzidos, manipulados, embalados, distribuído e fornecidos de forma segura e conforme com as exigências definidas através destas normas.

Atualmente, a certificação da segurança alimentar pode ser obtida recorrendo a vários referenciais, tais como:

- Certificação de acordo com o HACCP;

- Certificação de acordo com a ISO 22000;

- Certificação FSSC 22000;

- Certificação BRC - Norma Global;

- Certificação de acordo com a IFS e Logística IFS.

(Continua)

Aceda ao artigo na íntegra na edição n.º 6 da edição impressa da Revista TecnoAlimentar.

Solicite a edição ou a assinatura através do seguinte email: marketing@tecnoalimentar.pt.

Saiba mais aqui.